Open post

O que pensam Xi Jinping e Donald Trump sobre o Brasil da Era Bolsonaro?

Se você está incerto sobre o sucesso dos negócios em 2020, vamos fazê-lo mudar de ideia! Como?

Segundo o analista social Jack Feliciano, “tanto Xi Jinping (China) quanto Trump, (EUA), independentemente de eventuais diferenças ideológicas, são nacionalistas ferozes: um perfil que lhes aproxima de Bolsonaro, a quem ambos são bastante simpáticos (como percebemos em suas viagens oficiais), gerando laços mútuos de confiança e cooperação”. Na prática, a despeito do que poderíamos supor (a partir do que a mídia de oposição apresenta), governos, grandes empresas e investidores percebem, sim, os avanços na sociedade, na política e na economia do Brasil: “As lideranças técnicas nos ministérios e cargos-chave, as privatizações, as reformas trabalhista, previdenciária, tributária e política (em curso), a redução do ‘Custo Brasil’ e os acordos de cooperação assinalam ao mundo que o Brazil saiu das trevas. Isso significa duas coisas: investimentos e exportações!” Você não vai ficar de fora dessa, vai?

Deixe seu like, comente e faça sua parte pelo Brasil: compartilhe esse post!

Open post

5 informações para considerar nas suas finanças em 2020

Bem, o bissexto 2020 será um ano peculiar para o Brasil e para o mundo: você está preparado para se ajustar a todos os cenários possíveis?

Em linhas gerais, teremos o segundo ano do governo Bolsonaro (que tem se mostrado ágil e imprevisível), uma olimpíada (para atrapalhar), as eleições norte-americanas, as eleições municipais brasileiras, a contínua tensão entre esquerdas e direitas mundiais (inclusive na ONU) e a situação comercial ChinaUSA em perene conflito.

No dia-a-dia do mercado, porém, veremos mais consumo, mais tecnologia e a desconstrução de alguns pardigmas fortes na economia. Para complementar, consumidores mais ansiosos e superficiais. E agora, a que, exatamente, atentar?

1. Abertura de acordos de livre (ou quase livre) comércio;

2. Facilitação do empreendedorismo, produzindo mais empresas no mercado;

3. Aumento da concorrência, gerando queda de preços e de juros;

4. Fortalecimento da moeda nacional e maior potencial para exportações;

5. Investidores ávidos por novas variedades de investimentos.

E sua empresa, onde se enquadra nesse contexto? Comente!

Open post

Economia Digital

Com oito propostas bem definidas, o governo Bolsonaro mostra o quanto podemos crescer juntos se e quando elas forem implantadas, mas para isso todos devemos manter o foco nas tendências mercadológicas.

O ‘digital’ veio para ficar e com ele novas tendências que não imaginaríamos há poucos anos. Bancos sem agências; pedidos de táxis, comida, profissionais de beleza e saúde indo até o consumidor; séries e filmes na palma da mão e mais: bitcoins, o dinheiro, que não é ‘real’, mas virtual… o negócio é tão maluco, que exigiu das pessoas e das instituições uma mudança rápida na forma de pensar e agir.

“Que tiro foi esse?”

Ninguém viu, ninguém conseguiu prever a avalanche de novas tendências em tão pouco tempo. Hoje, o Brasil está, inclusive, tentando compreender o que essa Era que começou trocando a carta de papel pela ‘carta do computador’ está fazendo com a Economia.

Normas, regulamentações, leis e, principalmente, a visão do consumidor e suas experiências são as pautas dos grandes homens de negócios em nosso país. Prova disso é a quantidade de jovens empreendedores que estão sendo consagrados no Brasil e no mundo por pensar “fora da caixinha” e fazer os zeros se multiplicarem. A exemplo disso, podemos citar o sucesso da XP Investimentos que tudo indica, fechou o ano de 2018 com R$ 200 bilhões sob administração, segundo entrevista do CEO à Revista Exame.

E agora Bolsonaro?

No paralelo, o presidente Jair Bolsonaro tem em suas mãos, por meio da equipe ministerial da pasta de Economia, um baita abacaxi. Enquanto o mercado financeiro se transforma aceleradamente, por meio de ferramentas digitais, temos um enorme percentual da população que conta com o “dinheiro de papel”. Tanto, que o governo criou estrategicamente oito grandes metas para combater o legado que recebeu.

As oito propostas ministeriais da pasta de Economia são:

– Reforma Tributárias
– Reforma da Previdência
– Desvinculação do Orçamento
– Redução de Tarifas de Importação e abertura comercial
– Revisão de Sistema S
– Carteira Verde e Amarela
– 13º Bolsa Família

Todas as propostas mexem com a nossa vida financeira direta ou indiretamente e precisamos estar em alerta, por isso poupar é preciso, necessário e vital.

Com exceção das reformas tributárias e da previdência que é um tema discutido há meses pelo governo anterior e divulgado pela mídia, as demais ações são assuntos também em pauta, porém nem sempre de entendimento geral, por isso, vamos entender:

Desvinculação do Orçamento – Rever os pisos de gastos obrigatórios em saúde e educação, e a correção de despesas obrigatórias pela inflação. Para que isso ocorra, o governo deve criar uma emenda constitucional.

Redução de Tarifas de Importação e abertura comercial – Isso significa que os valores das taxas seriam mais baixos, o que nos ajudaria quando os produtos entrassem no Brasil, porém para isso acontecer temos que fechar novos acordos internacionais com os países do Mercosul, por exemplo.

Revisão de Sistema S –  O sistema S é como é conhecido o grupo de instituições que tem o seu nome começado com a letra “S” e tem por objetivo o treinamento profissional, pesquisa e assistência técnica social, ou seja, Senai, Sesi, Sesc, Sebrae, etc. Atualmente, as empresas repassam de 0,2% a 2,5% da alíquota patronal para essas instituições. A ideia do governo é que esse valor de repasse seja reduzido de 30 a 50%.

Carteira Verde e Amarela – Nova modalidade de carteira de trabalho, com menos direitos trabalhistas do que os atualmente previstos. Nesse caso, o governo precisará alterar a CLT para não interferir nos direitos adquiridos pela Constituição, tais como férias, 13º, FGTS.

13º do Bolsa Família – A ideia é incluir o benefício aos inscritos no Programa do Bolsa Família.

Como pode observar, as propostas mexem com redução ou planejamento orçamentário do governo, o mesmo que temos que fazer rotineiramente em nossas vidas. No caso da pasta, eles têm quatro anos para cumprir tais promessas, já você…os boletos do IPVA, IPTU, escola, etc já estão sob a mesa, por isso, vamos poupar, observar como as novas tendências podem cooperar com o seu dia a dia e usar da melhor maneira possível.

Se precisar, conte com a gente pra te ajudar!