Open post

Quanto NÃO rende o seu FGTS… e porque você deve sacá-lo!

Spoiler: menos que a poupança. E olha que a poupança nem investimento é, caros colegas! Ou seja, não se espera uma remuneração sobre o capital “poupado”.

Logo, você está perdendo dinheiro no FGTS!

No vídeo abaixo, o pessoal da InfoMoney dá uma aula definitiva sobre o rendimento do FGTS. Então, não deixe de assistir e…

Desesperar-se!

Ah, Cabedal, mas porque vocês estão me informando sobre isso?

Bem, em nossa última atualização, perguntamos quanto você ou sua empresa obtinham de retorno sobre seus investimentos – e os correlacionamos com o quanto lhes era exigido quando da contratação de empréstimos e financiamentos.

Alguns alcançam “até” 2% no mercado de ações (mesmo que, através da maioria dos fundos e traders, suas rentabilidades sejam bastante variáveis). Existe ainda quem investe em imóveis, com rendimentos na ordem de 0,4% a 0,5% ao mês. Existe quem deixe seu dinheiro na renda fixa, na poupança e até no FGTS!

MAS, o governo está LIBERANDO SEU FGTS (votação em curso).

Vamos pôr esse dinheiro para trabalhar?

ATENÇÃO: Nas próximas semanas, teremos grandes novidades sobre o que fazer com seu FGTS, com juros acima dos 3% a.m.!

 

Open post

Participe dessa pesquisa e acesse uma oportunidade rara em rentabilidade!

Atenção, se seus recursos demandados/aplicados forem iguais ou superiores a R$300.000, nós garantimos uma oportunidade de empréstimo x investimento, no mínimo, 5 vezes mais vantajosa que a sua oferta atual. Responda a pesquisa abaixo:

1. Quanto sua empresa paga por seus empréstimos (o percentual de juros cobrado por sua instituição bancária ou cedente do crédito)?

2. Quanto você ou sua empresa são remunerados por seus investimentos ou aplicações (em percentual)? Entendeu?

Exemplo: sua empresa contrata empréstimos para capital de giro a 1,8% ao mês e é remunerada em seus investimentos em 0,8% ao mês – nesse caso, se suas aplicações e empréstimos forem equivalentes no montante (o que seria bastante insólito já que, preferivelmente, você deveria utilizar o dinheiro aplicado em lugar de tomar um empréstimo), você estaria perdendo 1% ao mês.

Para você, RESPEITADAS AS POLÍTICAS DE CRÉDITO E GARANTIAS, a Cabedal apresenta opções em crédito x financiamento de até 0,85% a.m. e até 3,55% de rentabilidade líquida.

O que você acha disso? Agora responda a pesquisa e para participar, compartilhe com pelo menos 1 amigo: salve-se dos empréstimos cruéis e das péssimas aplicações!

Open post

Sua empresa tem dinheiro… e você não sabe!

Com cenário econômico estável, perspectivas sólidas de crescimento (com a sobreposição de várias curvas de expansão a partir de 2020) e mercado e investidores sedentos, o que está faltando para sua empresa investir em si mesma?

Podemos falar em aumento de capacidade produtiva, com a compra de equipamentos e tecnologia, contratação de mão de obra, treinamentos, consultoria ou mesmo a abertura de nova unidades produtivas. Ou em diversificação de portfólio, com pesquisa e desenvolvimento, sourcing, estabelecimento de novas cadeias logísticas (supply-chain) e definição de mercados. Sua empresa poderia, ainda, empreender a abertura de novos mercados, exportando, implementando programas de certificação e qualidade, expandindo ou treinando sua força de vendas. Enfim!

Suas opções são inúmeras. Mas, onde seus planos encontram obstáculo?

Sim, dinheiro! Absolutamente todo o projeto que você se dispuser a implantar em sua empresa exigirá recursos financeiros para sustentá-los – sejam eles quais forem. E, sabemos, esse é um problema recorrente! Não é?

Mas, espere! Sua empresa JÁ tem esses recursos… e talvez você não saiba!

Calma! O problema não é seu sócio, gerente, operador de caixa… não existe alguém levando o que não deve da sua contabilidade – pelo menos, não que a gente saiba!

O problema é apenas que você desconhece todas as linhas de crédito disponibilizadas pelo mercado – incluindo múltiplas opções privadas e governamentais em programas de incentivo a custos reduzidos -, não se dispõe a selecionar as melhores opções (ou justificadamente não reúne as competências técnicas necessárias à tarefa) e imagina que viabilizar a obtenção desses recursos é algo impossível.

Não é!

Linhas de crédito para os mais diversos fins estão aguardando você e sua empresa – só entre os bancos de desenvolvimento (como BRDE, BASA e BNDES) são mais de 50 alternativas!

Lembre-se que, na atual conjuntura econômica do país, “crescer” é mais que uma reação empresarial ao mercado e às suas oportunidades, é um dever cívico do empreendedor: sua contribuição à economia nacional e à sociedade.

Faça sua empresa crescer!

Se seu faturamento é superior a 300.000BRL (anuais) e você procura aportes a partir de 500.000BRL, a Cabedal pode ajudá-lo!

A Cabedal pode atuar desde a otimização de sua estrutura financeiro-contábil até o assessoramento no desenvolvimento de projetos de captação de recursos junto às mais diversas entidades creditícias.

O que você acha de tomarmos um café…

E descobrirmos juntos o dinheiro que você já tem – e não sabia?!

Open post
computer screen

Que tipo de investidor você é…

Com a chegada dos computadores e a compreensão dos novos investimentos, a população tornou-se mais arrojada... e a caderneta de poupança, que durante as décadas de 70 e 80 recebia suas anotações em um ‘caderninho’ que lembrava os boletins escolares, deixou lembrança.

investimentos

Nesses quase 50 anos, muita coisa mudou: nome de moeda, planos financeiros, planejamento familiar, juros... mas o que não obteve mudança alguma foi os sonhos da multiplicação do dinheiro.

Com isso, surgiu a nomenclatura dos tipos de investidores: conservador, moderado, arrojado e agressivo. Suas diferenças acontecem no percentual de patrimônio que a pessoa decide arriscar. Adicionalmente, o momento de vida, segundo especialistas, é o que provoca algumas mudanças planejadas ou repentinas do tipo de investidor que a pessoa se torna.

 

PERFIL X RISCO

A maior dúvida de toda pessoa que quer fazer algum tipo de ‘melhoria financeira’, ou seja, fazer com que seu dinheiro se multiplique, é o tipo de investimento que ela tem ou pode fazer para um determinado montante de dinheiro.

Para essa dúvida, não há uma resposta única, contudo, há uma preciosa dica que serve como padrão: crie metas para o seu dinheiro!

Por exemplo, se você é um jovem profissional, que mora com os pais e que pretende usar o dinheiro para comprar bens de valores baixos (carro, viagens), há uma possibilidade de arriscar mais o patrimônio que possui, pois não tem um custo fixo alto. Nesse caso, um risco de aproximadamente 30% de seu patrimônio, não é ‘perigoso’, por exemplo.

Se, por outro lado, essa pessoa possui um custo fixo alto, sua tendência é ser mais conservadora e buscar por aplicações financeiras que lhe renderão menos, porém o seu risco é, também, baixo.

Ao buscar por auxílio de profissionais do mercado financeiro para investir o dinheiro, tenha em mente o que pretende fazer com o valor resgatado daqui a um tempo. Quando você sabe que quer usar as suas economias para comprar um bem; proporcionar estudos pra você ou filhos; tornar sua velhice mais cômoda, etc. fica mais transparente a forma e modelo de investimentos que a empresa irá lhe oferecer.

O que é importante ressaltar é que você encontra, atualmente, maneiras simples de compreender as diferentes nomenclaturas de investimento e, o que antes era um bicho de sete cabeças, hoje, você pode compreender e definir, junto ao profissional de sua confiança (gerente do banco, gerente de atendimento de empresas de investimentos) a sua carteira de negócio.

A sua ‘antiga caderneta’ poderá servir de história da família e de lembrança de como a correta maneira de guardar dinheiro ou utilizá-lo para o crescimento da família, seja por meio de viagens, compras de bens ou oportunidade de estudos, foram importantes e poderá servir de legado para as novas gerações.

Conheça os serviços da Cabedal... contate um dos nossos consultores!

 

Leia mais sobre o assunto: