Open post

A Agrishow começou!

A Agrishow começou e, além do Presidente Jair Bolsonaro e do MBL, nós, da Cabedal, claro, também estamos presentes durante os cinco dias da Feira… e sabe por que?

Além da presença do Presidente da República (poucos eventos contam com tal prestígio) o Agrishow 2019 está repleto de exposições, mesas de negocição e palestras educativas – uma oportunidade rara de fechar negócios em um dos setores que mais crescem no país.

Oportunamente, o Presidente Bolsonaro apelou ao Banco do Brasil pela redução de juros para o fomento à atividade rural (veja no vídeo acima) e anunciou, ainda, o aporte de R$500 milhões para o programa Moderfrota (de financiamento de máquinas e equipamentos agrícolas).

A equipe Cabedal dedicou-se a divulgar sua proposta de inovação em assessoria para o setor de agronegócio, oferecendo suporte completo nas áreas financeira, tributária, fiscal, contábil e comercial com a novidade: na Cabedal, os custos de assessoria (e, na maioria das vezes, também de operacionalização) das estratégias apontadas são cobrados exclusivamente NO ÊXITO DAS OPERAÇÕES.

Até o momento, mais de 100 empresas já contataram nossos 5 operadores na Agrishow! A sua ainda não? Ainda dá tempo! Contate-nos!

Open post

5 Motivos para Captar Recursos para o Seu Agronegócio em 2019

Atenta às tendências de Economia, Sociedade e Mercados, a Cabedal está cada vez mais próxima do segmento agropecuário e suas adjacências: o agronegócio – que inclui não só a produção agrícola e pecuária mas também as operações imobiliárias, infra-estruturais, tecnológicas e administrativas que sustentam o setor.

Neste post, vamos apontar 5 circunstâncias do cenário econômico atual que assinalam a necessidade urgente dos empresários do setor em captarem investimentos para seus negócios como forma de se manterem competitivos no mercado:

1. Expansão da demanda por produtos brasileiros no mercado internacional: como já falamos no post anterior, as barreiras alfandegárias entre os gigantes EUA e China devem fazer com que o interesse dos maiores mercados consumidores do planeta se concentrem em produtos em grande parte provenientes do Brasil – é possível, pois, que algumas safras encontrem o problema da “demanda reprimida” (mais demanda que oferta) e seus produtores precisem se antecipar ao problema e expandirem sua produção;

2. Atenção Governamental ao Setor Agrícola: livre de exigências político-partidárias, podemos esperar do atual Ministério da Agricultura, além de uma prometida “gestão técnica”, uma atitude muito mais proativa e efetiva quanto às demandas do setor. A traduzir-se em programas de auxílio governamental e linhas de crédito exclusivas para a produção agropecuária – uma alternativa de financiamento que não deve ser desperdiçada pelos produtores pois pode constituir uma janela breve de oportunidade;

3. Fortalecimento da Concorrência com o Norte e Nordeste do País: o governo atual, pela primeira vez em algumas décadas, está empenhado em resolver o grave problema das terras improdutivas da região nordeste do Brasil e deverá desenvolver programas de auxílio tecnológico aos produtores rurais locais além da liberação de linhas de crédito com custos significativamente subsidiados – o que deve representar uma ameaça interna aos produtores do sul, sudeste e centro-oeste que, para compensar, devem aprimorar seu desempenho através do (re)investimento em sua produção;

4. Necessidade de Equilíbrio Cambial e Financeiro: a maioria das safras atualmente disponíveis no mercado foram plantadas com dólar (e expectativa) próxima de 3,90 reais e deverá ser negociada com o dólar tendendo a 3,65 reais – o que demandará recursos para cobrir esse gap financeiro;

5. Necessidade de Diversificação: ante desfechos favoráveis ou desfavoráveis, a diversificação de portfólio é sempre uma boa ideia, garantindo a saúde de sua curva ABC e proteção contra a sazonalidade. No entanto, diante do realinhamento político brasileiro, há um forte indício de que alguns segmentos do mercado precisem receber atenção especial por parte de seus operadores. Observe, por exemplo, a aproximação entre Brasil e Israel que pode ameaçar a demanda pela carne brasileira no mercado árabe (seu principal mercado consumidor no mercado externo) – e deverá exigir novos esforços mercadológicos ou operacionais dos produtores do segmento;

Considere esses elementos para fazer uma análise SWOT do seu agronegócio para 2019.

Mas não se assuste!

Conte com a Cabedal para assessorá-lo em todas as etapas da obtenção de financiamentos e empréstimo para suas atividades no agronegócio.

Vamos tomar um café e conversar?

Open post

AGRISHOW 2019 – de 29/04 a 03/05 em Ribeirão Preto/SP

Se você ainda não conhece a Agrishow, essa é sua definção (segundo seu site):

A Agrishow é a maior feira de tecnologia agrícola do Brasil e uma das maiores do mundo. Ela reúne soluções para todos os tipos de culturas e tamanhos de propriedades, além de ser reconhecida como o palco dos lançamentos das principais tendências e inovações para o agronegócio.

São 25 anos de sucesso absoluto, reunindo mais de 800 marcas expositoras e mais de 150 mil visitantes qualificados em 520.000m2 de área, trazendo o que há de mais novo em tecnologia agrícola.

Se você atua ou pretende atuar no setor de agronegócios, sua presença na Agrishow 2019 é imprescindível: aquisição (e atualização) de conhecimentos, networking e oportunidades!

E sabe qual a grande novidade esse ano?

A Cabedal estará presente nos cinco dias da feira, com 12 consultores devidamente identificados e prontos para assessorá-lo na obtenção de seu financiamento para produção, custeio e comercialização agropecuária, equipamentos e tecnologias.

Visite a feira, selecione as soluções que melhor se adaptam às suas demandas e conte com a Cabedal para assessorá-lo na sua obtenção!

Open post

Agronegócio: perspectivas para 2019

Se você está envolvido com o agronegócio, de uma forma ou de outra está constantemente atento ao mercado mundial, não é verdade? Porque, assim como as bolsas de valores, o mercado agro é sensível a toda e qualquer variação econômica, social ou política de cenários – além, claro, das climáticas.

Se “o bater de asas de uma borboleta influencia tempestades”, o que podemos esperar das negociações entre EUA e China?

Vamos entender!

A abundância de mão de obra, a disponibilidade tecnológica, o crescente investimento em infra-estrutura e o câmbio (quase que maliciosamente) favorável do Yuan perante o dólar americano fazem da China o maior problema macroeconômico dos EUA atualmente. Os americanos preferem comprar produtos e insumos chineses (devido à diferença de preços) e produzir na China (devido aos custos reduzidos de operacionalização e manufatura) mas, infelizmente, não conseguem atingir o imenso mercado consumidor chinês – que, nos dias de hoje, parece ainda mais encantado com a Coréia do Sul.

Como resultado, os EUA perdem postos de trabalho, mercados consumidores, e, por consequência sua balança de pagamentos sofre nitidamente o efeito (da concorrência com os produtos provenientes da) China – que assola, igualmente, grande parte do mundo ocidental.

Como resolver isso? Donald Trump – seguindo suas promessas de campanha – impôs uma série de tributos sobre os produtos importados da China e, esta, por sua vez, vem respondendo na mesma moeda; promovendo, por fim, uma verdadeira guerra comercial entre os dois países, onde uma crescente tributação recíproca torna seus produtos economicamente inviáveis.

Quais os resultados desse desfecho para o Brasil?

Esse cenário, obviamente, implica significativa preferência para o produto brasileiro – tanto por parte dos chineses quanto por parte dos Estados Unidos!

Observe que, aproximadamente 35% das exportações brasileiras dirigem-se a esses dois países: China e EUA, cujos PIB devem aumentar, respectivamente, em 6,5% e 2,9%. Mas, o principal dado: suas preferências (de importação) deverão voltar-se ainda mais para o Brasil – que deverá, assim, aumentar o market share em relação aos concorrentes. Portanto, podemos apostar que o Brasil terá um crescimento no setor agro entre 3,5% – no pior dos cenários – e 14% – no melhor – para os próximos dois anos.

Não deixe sua empresa, projeto ou iniciativa de fora dessa oportunidade?

A Cabedal tem uma surpresa para o setor de agronegócios ainda para essa semana! Quer saber mais?

Acompanhe nosso blog!

Deixe sua opinião, compartilhe em suas redes sociais e inscreva-se na nossa página!