Open post

ANO NOVO, DINHEIRO NOVO

Chega de investir em bancos que você já está acostumado e pagar taxas absurdas por isso. Acredite em uma empresa que conhece o mercado financeiro e, principalmente, poderá transformar sua forma de ver seu dinheiro


2019 nem começou direito e você abre sua caixa de e-mails e ela está lotada de spans. Em alguns casos, profissionais de nossa área de atuação pedindo que você se atente a um produto revolucionário, como se isso fosse possível. Sabemos que dinheiro não nasce em árvore.

Dinheiro não nasce em árvore, mas pode crescer da terra, desde que sua empresa esteja vinculada ao agronegócio…

O mundo financeiro não precisa ser duro, pode ter sua pitada de humor, como o trocadilho simples e ‘bobo’ feito acima, mas isso não significa brincar com o dinheiro. Saber investir, desfrutar do sucesso de sua empresa é algo que a Cabedal sempre poderá ajudar.

Em outro artigo mostramos o que faz uma fintech e o porquê confiar nas empresas que trazem menos custo e mais lucratividade ao seu negócio, muitas vezes, melhor do que as instituições financeiras tradicionais. Nesse momento convidamos a pensar “Por que a Cabedal pode expandir minha empresa?”

Nós conhecemos o mercado

A equipe da Cabedal é composta por profissionais que sabem quais os melhores produtos para captar recursos com menores custos, maiores carências e prazos para pagamento. Assim sua empresa terá uma base financeira para crescer com custos ideais e maior lucratividade

Pode parecer uma afirmação simplória, contudo, o fato de você não precisar ‘pensar em dinheiro’ por ter alguém que faz isso por você, torna-se um diferencial ao seu investimento, uma vez que, seu tempo estará vinculado a criação de novos produtos para a sua empresa e/ou processos para minimizar riscos e diminuição de custos.

Cuidadosamente pensada e criada, nossa equipe trabalhou em instituições financeiras e entende como elas funcionam intimamente, o que lhe dá segurança sobre os produtos oferecidos e, ainda, sem o vínculo empregatício com as mesmas, o que mostra que você receberá os melhores conselhos com indicações e demonstrações de retorno de cada área pela qual você está interessado.

Caberá a você, apenas, decidir o que quer para sua empresa e o tempo de investimento nos serviços escolhidos.

Cabedal – que nome é esse?

Cabedal é uma palavra que em latim significa capitãlis e fatal, ou seja, capital principal. E é por acreditar que seu capital principal deve ser mantido e incrementado que trabalhamos. Nossa marca deve ser lembrada por você como uma empresa que é sua parceira, que te traz segurança e, acima de qualquer coisa, é uma das mais confiáveis do mercado.

Open post

Chega de Dúvidas

Nessa nossa breve Pau$a para Conver$a, vamos explicar resumidamente o que são linhas de crédito e como fazer a melhor escolha, de acordo com suas necessidades.

Para começar, vale dizer que linhas de crédito são modalidades de empréstimos, concedidas por instituições financeiras a pessoas físicas ou jurídicas, com prazo para pagamento atrelado a alguma taxa de juros.

“Ah então elas são só uma forma de quitar dívidas?” Não! Essas modalidades de financiamento vão muito além. Elas podem ser uma boa forma de impulsionar negócios, aumentar patrimônio ou realizar sonhos.

Para não errar

Antes de escolher a linha de crédito para resolver sua situação, defina claramente qual o objetivo do empréstimo e NÃO desvie-se dele. Vale conversar com um consultor financeiro não só para escolher a melhor opção, como para entender os riscos e vantagens de cada modalidade.

Ah! Lembre-se de comparar as taxas de juros entre bancos (regionais, federais ou privados), financeiras e fintechs, pois a diferença é gritante. O quê? Não sabe o que é uma fintech? Calma. Dê uma lida nesse artigo que fizemos há pouco tempo que vai entender melhor. Sem mais delongas, vamos a algumas opções de linhas de crédito acessíveis.

Precisa de gás ou de fôlego?

Micro e pequenos empresários que querem impulsionar seus negócios ou obter um “fôlego” financeiro, podem recorrer às linhas de crédito de capital de giro ou antecipação dos recebíveis. Com elas é possível melhorar o fluxo de caixa, viabilizar compra de bens, realizar pagamentos de fornecedores etc.

A família cresceu?

Se deseja comprar um imóvel ou veículo e quer uma opção menos burocrática e com custos reduzidos, vale conhecer o empréstimo com garantia. Nessa modalidade você oferece seu imóvel atual ou veículo quitado como garantia para adquirir outro bem, podendo quitar as parcelas em até 180 meses.

Pode esperar um pouco?

Se tem um sonho de adquirir um bem (imóvel, veículo) ou serviço (festa de casamento, cursos, estética), mas não precisa dele de imediato, uma boa opção pode ser o consórcio. Trata-se de uma espécie de “poupança” formada entre um grupo de pessoas (físicas ou jurídicas) para a aquisição de bens ou serviços que, embora cobre uma taxa de administração, esta costuma ser menor que os juros de um financiamento bancário.

Pronto! Agora você sabe um pouquinho mais sobre as linhas de crédito. Esperamos que essas informações sejam úteis para que aproveite as boas oportunidades de mercado, pagando taxas menores, com prazos adequados e total segurança. É para isso que a Cabedal existe. Para ajudar você a ter uma vida financeira saudável.

Open post

Para quem importa, a alta do dólar importa

Sabe sua ceia de Natal? É bem provável que neste ano, você tenha que dar uma “tropicalizada” nela, substituindo algumas delícias importadas.

Isso porque, segundo dados da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), houve um corte de cerca de 30% no volume importado de alguns produtos mais vendidos no Natal e Ano Novo. Itens como alimentos, bebidas e enfeites, sobretudo os chineses, foram os mais afetados com essa redução, por serem mais caros em reais ao consumidor e terem um risco de encalhe maior.

Tio Sam é democrático

Mesmo após as eleições presidenciais por aquil, o dólar se mantém em alta para os padrões e bolsos brasileiros, embora tenha voltado aos R$ 3,70 do início de agosto deste ano. “Ahh mas eu não me importo em pagar um pouco mais caro para ter a ceia que gosto”. É mesmo? Então sugiro que dê uma lida neste artigo para entender melhor como o dólar afeta seu bolso. Aliás, a moedinha do Tio Sam afeta todos nós.

Para se ter uma ideia, de janeiro a setembro deste ano, a variação do dólar chegou a 32,9%, batendo R$ 4,20 no mês de setembro, maior valor desde a criação do Plano Real, há 14 anos. Enquanto a moeda do Tio Sam sobe, o poder de compra da população desce.

Importador paga duas vezes?

Dependendo do câmbio do dia, sim! Além de pagar mais reais para trazer os produtos do exterior, as empresas ainda precisam nacionalizar essa mercadoria. Isso significa que devem pagar todos os impostos, despesas e taxas com frete portuário, porém, baseando-as na cotação do câmbio do dia anterior à data do desembarque do produto no porto. Ou seja, elas perdem no âmbito cambial e tributário.

Criatividade para reduzir prejuízos

As empresas que mantiveram o volume de encomendas de final de ano, apostando em uma trégua do dólar após as eleições, acertaram na estratégia. Por terem adiado os embarques no exterior, conseguiram colocar seus produtos no mercado a preços competitivos. E se tem algo que esse pessoal da importação entende, é a importância do cuidado ao precificar seus produtos para compensar os gastos no exterior e manter a clientela.

Muitas vezes, para sair do aperto causado pela variação cambial é preciso recorrer a algum tipo de linha de crédito. Mas esse é assunto para a nossa próxima Pau$a para Conver$$a.

Open post

Segura na mão do novo e vai!

E se der medo, vá com medo mesmo. Não há como evoluir sem estar disposto a mudar. Se você possui uma micro, pequena ou média empresa e precisa de recursos para fazer seu negócio prosperar, lembre-se do “tio” Einstein: “insanidade é fazer todos os dias a mesma coisa e esperar resultados diferentes”.

Arregace as mangas e mude seu mindset. Os bancos tradicionais não são mais sua única alternativa para conseguir produtos e serviços financeiros. Hoje existem as Fintechs – startups no setor financeiro, modernas e inovadoras, que usam a tecnologia para assegurar eficiência aos seus produtos e serviços.

Simples assim

As fintechs ajudam a solucionar alguns problemas do sistema financeiro tradicional, ainda muito burocrático. Elas perceberam uma mudança de comportamento derivada da diminuição das transações em dinheiro vivo por um lado e da expansão do comércio eletrônico, sites de câmbio e internet banking de outro. E decidiram transformar a economia, abrindo novas possibilidades para todos os empreendedores.

O mundo é de quem se adapta

Muito mais ágeis, as fintechs adaptam-se melhor às necessidades do mercado. Por isso, conseguem apoiar de forma mais efetiva, a gestão de negócio de micro e pequenas empresas. E seus produtos e serviços vão desde facilitar o fornecimento de capital de giro, passando por financiamentos menos burocráticos e customizados, até gestão de benefícios.

E é por isso que a Cabedal existe: para ajudar você a fazer seu negócio prosperar. Nós queremos que você aproveite as boas oportunidades de mercado pagando por taxas menores e prazos adequados com total segurança. Para conhecer nosso serviços é só clicar aqui. Mas se quer saber mais sobre a Cabedal, fica o convite: venha tomar um café com a gente e descubra como se beneficiar de tudo que nossa fintech pode oferecer.

Conhecimento enriquece

Se você se interessou pelo assunto e quer saber mais sobre as fintechs, pode acessar o estudo feito em parceria entre a Associação Brasileira de Fintechs (AB Fintechs) e a consultoria PwC Brasil aqui. Certamente vale à pena essa leitura, pois com mais informação talvez você descubra uma oportunidade de solucionar algumas demandas de seu negócio, sem afetar seu caixa.

Open post
computer screen

Que tipo de investidor você é…

Com a chegada dos computadores e a compreensão dos novos investimentos, a população tornou-se mais arrojada... e a caderneta de poupança, que durante as décadas de 70 e 80 recebia suas anotações em um ‘caderninho’ que lembrava os boletins escolares, deixou lembrança.

investimentos

Nesses quase 50 anos, muita coisa mudou: nome de moeda, planos financeiros, planejamento familiar, juros... mas o que não obteve mudança alguma foi os sonhos da multiplicação do dinheiro.

Com isso, surgiu a nomenclatura dos tipos de investidores: conservador, moderado, arrojado e agressivo. Suas diferenças acontecem no percentual de patrimônio que a pessoa decide arriscar. Adicionalmente, o momento de vida, segundo especialistas, é o que provoca algumas mudanças planejadas ou repentinas do tipo de investidor que a pessoa se torna.

 

PERFIL X RISCO

A maior dúvida de toda pessoa que quer fazer algum tipo de ‘melhoria financeira’, ou seja, fazer com que seu dinheiro se multiplique, é o tipo de investimento que ela tem ou pode fazer para um determinado montante de dinheiro.

Para essa dúvida, não há uma resposta única, contudo, há uma preciosa dica que serve como padrão: crie metas para o seu dinheiro!

Por exemplo, se você é um jovem profissional, que mora com os pais e que pretende usar o dinheiro para comprar bens de valores baixos (carro, viagens), há uma possibilidade de arriscar mais o patrimônio que possui, pois não tem um custo fixo alto. Nesse caso, um risco de aproximadamente 30% de seu patrimônio, não é ‘perigoso’, por exemplo.

Se, por outro lado, essa pessoa possui um custo fixo alto, sua tendência é ser mais conservadora e buscar por aplicações financeiras que lhe renderão menos, porém o seu risco é, também, baixo.

Ao buscar por auxílio de profissionais do mercado financeiro para investir o dinheiro, tenha em mente o que pretende fazer com o valor resgatado daqui a um tempo. Quando você sabe que quer usar as suas economias para comprar um bem; proporcionar estudos pra você ou filhos; tornar sua velhice mais cômoda, etc. fica mais transparente a forma e modelo de investimentos que a empresa irá lhe oferecer.

O que é importante ressaltar é que você encontra, atualmente, maneiras simples de compreender as diferentes nomenclaturas de investimento e, o que antes era um bicho de sete cabeças, hoje, você pode compreender e definir, junto ao profissional de sua confiança (gerente do banco, gerente de atendimento de empresas de investimentos) a sua carteira de negócio.

A sua ‘antiga caderneta’ poderá servir de história da família e de lembrança de como a correta maneira de guardar dinheiro ou utilizá-lo para o crescimento da família, seja por meio de viagens, compras de bens ou oportunidade de estudos, foram importantes e poderá servir de legado para as novas gerações.

Conheça os serviços da Cabedal... contate um dos nossos consultores!

 

Leia mais sobre o assunto:

Open post

Um Bilhão Por Um Unicórnio

 

A regra é clara: para ser considerada uma Startup Unicórnio a empresa deve ter um valuation (avaliação de preço no mercado) de mais de U$ 1 bilhão, antes de abrir capital em bolsa. Acha simples? Mas não é.

As pessoas acreditam que empresas como: Spotify, Waze, Bebee, Airbnb, 99, Nubank e Movile, por exemplo, focaram em produtos ou serviços inexistentes, ou seja, foram visionários. Se você é uma dessas pessoas, está redondamente enganado.

O que as “Startups Unicórnio” têm em comum são: ótima equipe; o cuidado extremo com o cliente; a capacidade de aprender e testar hipóteses; e, principalmente, um mercado grande e global. Adicionalmente, os fundadores dessas empresas têm um poder de negociação e uma certa audácia.

Vamos pensar no Spotify, por exemplo, Daniel Ek, seu fundador, queria criar um serviço como o Napster mas “mais legalzinho”, onde pudesse unir suas duas grandes paixões: música e informática. Da ideia à realização foram dois anos, além de mais um ano de negociação com grandes empresas fonográficas que não acreditavam no projeto. Atualmente, a empresa é avaliada em U$ 8,4 bilhões.

O que dizer da brasileiríssima 99? O aplicativo de táxi que surgiu em 2012, passou por algumas dificuldades com a entrada do Uber no país. Contudo, pôde abrir novas vagas de emprego, além de concretizar parcerias empresariais e com o governo, após os dois aportes que recebeu, em 2017, somando mais de R$ 400 milhões.

99, considerada a primeira empresa Unicórnio do Brasil, foi vendida, no início de 2018, para a Didi Chuxing por pouco mais de U$ 1 bilhão. Hoje, a ‘uber chinesa” como é conhecida a Didi, vale U$ 33, 8 bilhões.

Por que as Startups Unicórnios podem surgir a qualquer momento?

Essas empresas surgem, na maioria das vezes, por estarem mais preocupadas com o consumidor do que com o dinheiro que ganharão com o serviço ou produto que vendem. E, exatamente por este motivo, elas acabam criando uma experiência e proximidade com o público; o que as tornam mais conhecidas, mais populares.

Criam, com essa visão, um circulo virtuoso: bons serviços >> clientes satisfeitos >> reconhecimento do mercado >> possibilidade de investimentos de terceiros >> aumento de produtos/serviços >> aumento do valor de mercado.

Nessa seara, o que vale é o pensamento ganha x ganha. São as parcerias com marcas já consagradas pelo público e que complementam o core business da empresa que pode se tornar unicórnio.

O acesso à internet e a facilidade tecnológica são outros dois fatores que, os fundos de investimentos americanos, consideram como divisor de águas entre empresas que se transformam em unicórnios e as que, são boas no que fazem, porém, não conseguem aumentar seu valuation em pouco tempo.

Os consultores dessas empresas descrevem esses fatores como os determinantes dos novos modelos de negócio no mundo e, os proprietários das empresas devem estar atentos a essa corrida maluca por novas experiências, por meio de produtos e serviços, que os consumidores estão sedentos por receber, lembrando que não é a invenção ‘da roda’, mas a transformação dela em algo diferente ou melhor.

 

Curiosidade: As Unicórnios pelo Mundo

  • Uber: transporte urbano privado - vale US$ 68 bilhões (EUA)
  • WeWork: escritórios compartilhados - vale US$ 16,9 bilhões (EUA)
  • Xiaomi: distribuidora de smartphones - vale US$ 46 bilhões (China)
  • Blablacar: plataforma de caronas - vale U$ 1,6 bilhões (França)
Open post

Seguro de Vida para Vivos

 

Homens e mulheres, na maioria das vezes, não aceitam a palavra morte. Quando profissionais do ramo de investimentos oferecem a eles um seguro de vida, a corrida é quase certeira, afinal ‘isso eu pensarei quando ficar mais velho...”

O que a maioria não sabe é que a pouco mais de um ano, o Brasil passou a oferecer um seguro de vida resgatável, ou seja, você não precisa morrer para poder usufruir do prêmio.

O chamado universal life é um seguro que tem objetivos complementares ao do seguro de vida tradicional: a sobrevivência e a formação de um fundo de reserva para o segurado e/ou sua família.

E quais são as vantagens do seguro de vida tradicional e do resgatável? Para responder a essa pergunta, vamos falar das semelhanças e diferenças de ambos, assim, você perceberá que o raciocínio do ‘fim da vida’ será excluído de sua mente!

 

Semelhanças do Seguro de Vida Tradicional e Resgatável:

- Você deverá calcular todos os gastos da família para que o valor a ser pago pelo seguro e a indenização futura seja a mais próxima das necessidades. Nesse item é importante incluir:

* despesas atuais (moradia, alimentação, educação, por exemplo);

* despesas do evento – no caso de morte, essa despesa refere-se a funeral, inventário; e,

* despesas futuras - refere-se ao tempo que sua família levará para independência financeira.

- Estipular o tempo mínimo de investimento – 5,10,15,20 anos...

- No caso de invalidez total ou parcial por acidente o prêmio é pago.

 

Diferenças do Seguro de Vida Resgatável:

- O segurado pode resgatar o prêmio corrigido pela inflação + taxa de juros que varia entre 0 e 3%, de acordo com cidade e perfil do segurado, ainda em vida

- Não há necessidade de renovação, tão pouco de analise a cada “x” anos

- Ele pode ser transformado em um plano de previdência – VGBL ou PGBL

- O pagamento das parcelas pode ser feito em moeda americana, o que proporciona a abertura de uma conta no exterior e, promovendo, adicionalmente, a inclusão das taxas de espólio, menores do que as praticadas no Brasil.

- Em caso de falta de dinheiro para o pagamento das parcelas, você pode utilizar o excedente do seguro para pagar a parcela vigente; ou seja, é como se o seu rendimento pagasse o valor das parcelas.

E, o maior diferencial do seguro de vida resgatável, além da não necessidade de morte, está no fato do seguro ser incontestável. Você paga a apólice, você receberá o seguro de acordo com seu contrato.

O importante a ressaltar é que a sua segurança e de sua família, no momento de dificuldade, deve ser o principal gatilho para você utilizar seu dinheiro de maneira consciente, independente do tipo de ‘produto financeiro’ que você pretende utilizar.