Open post

É cilada, Bino!

Talvez você tenha já caído em um golpe e não saiba. Será?

Tome muito cuidado antes de contratar um empréstimo ou financiamento!

Normalmente, se algo parece bom demais para ser verdade é porque não é mesmo verdade… infelizmente, amigo! Atenta a tudo o que se passa no mercado, a equipe Cabedal cruzou com uma matéria obrigatória do Correio (da Bahia) sobre esses golpes e riscos.

Confira! Ah, e antes de pensar em empréstimos e financiamentos empresariais, fale conosco!

Veja o que está por trás das ofertas de crédito fácil

Na terceira matéria da série Mitos e Verdades, especialistas mostram cinco armadilhas para ficar em alerta na hora de contratar um empréstimo

Aquela proposta de crédito fácil que chega seduzindo o consumidor que está no sufoco nem sempre vai tirar seu orçamento do vermelho. No desespero dá para pensar que o dinheiro caiu do céu, principalmente para aqueles que estão com o nome negativado nos órgão de proteção de crédito.

Porém, a verdade é que, como diz aquele ditado, ‘quando a esmola é demais, o santo tem que desconfiar’.

E precisa desconfiar mesmo, porque pode ser um truque. Na terceira reportagem da série da Carteira Correio sobre os Mitos e Verdades, especialistas em educação financeira vão mostrar estas situações que colocam o consumidor em risco na hora de contratar um empréstimo em financeiras.

O fato é que as pequenas e longas parcelas enganam e escondem um custo de financiamento que, muitas vezes, passa do dobro do valor que foi emprestado. “Isso faz com que o valor do crédito que cairá na conta seja menor do que se esperava, pois serão descontadas as taxas de serviços aplicáveis”, pontua a executiva-chefe de Operações da Geru Empréstimos Online, Tatiana Floh.

Por isso, não basta pesquisar taxas, mas também observar a reputação da instituição financeira. O alerta é do especialista em finanças pessoais e fundador do portal Konkero, Guilherme de Almeida Prado. “Inúmeros golpistas se fazem passar por bancos ou financeiras. Para empréstimo pessoal e consignado não é necessário pagar nada para ter a liberação, e não confie em ofertas com taxas extremamente baixas comparadas às praticadas no mercado”.

1. É GOLPE

‘A jornada é sempre a mesma: ofertas tentadoras que são usadas como ‘iscas’ para fraudadores’, afirma Tatiana Floh

Ofertas sedutoras Os golpes são antigos e mais comuns do que se imagina. Segundo a executiva-chefe de Operações da Geru Empréstimos Online, Tatiana Floh é preciso ficar ligado ao tipo de abordagem. “Hoje em dia elas são mais utilizadas por ferramentas como WhatsApp e redes sociais. A jornada é sempre a mesma: ofertas muito tentadoras que são usadas como ‘iscas’ pelos fraudadores”, destaca. Um risco grande para quem está sensibilizado por uma situação financeira complicada. “Ligações que solicitam dados ou permitem a contratação por telefone, sem  algum protocolo de segurança podem ser um indício da ação de oportunistas. Nenhuma empresa vem até a residência do cliente para recolher senhas, cartões de movimentação de conta vencidos ou bloqueados em troca de crédito”.

2. SALVAÇÃO PARA OS NEGATIVADOS

‘A questão é que por conta do risco, os juros são altíssimos’, analisa, Guilherme Almeida Prado

Não existe crédito sem custo A verdade é que assim como Papai Noel, duende ou coelho da Páscoa, não existe empréstimo mais barato para aqueles que estão com o nome negativado na praça. “A maior parte dos grandes bancos não concede empréstimos para negativados e só algumas financeiras oferecem para esse público. A questão é que por conta do risco, a cobrança desses juros é altíssima”, afirma o especialista em finanças pessoais e fundador do portal Konkero, Guilherme de Almeida Prado. Algumas financeiras, inclusive, chegam a argumentar que praticam a mesma taxa para clientes que estão com o nome limpo nos órgãos de proteção ao crédito. “É um custo que acaba comprometendo ainda mais a situação financeira, incorrendo no risco de não conseguir honrar o pagamento dessas parcelas e aumentar a um nível monstruoso o tamanho desta dívida”. Assim, o que era solução se torna um problema ainda maior: “É fundamental comparar antes de contratar, pois podem existir diferenças significativas”, completa Prado.

3. PACOTE NÃO FAZ MILAGRE

‘É importante tirar todas as dúvidas e entender qual a dívida que tem que ser paga’, destaca Davi Holanda

Serviços embutidos Nenhuma contratação de crédito pode estar vinculada a um pacote de serviços, como a contratação de um seguro, por exemplo. O alerta é do presidente da Acesso Soluções Financeiras, Davi Holanda. “É importante tirar todas as dúvidas e entender qual dívida que terá que ser paga”. Ainda de acordo com  ele, o problema mora naquelas aquelas letrinhas miúdas que quase ninguém enxerga e muitas vezes acaba deixando de ler. “Elas acabam expondo o consumidor aos pacotes milagrosos que fica vulnerável, sem saber o que realmente contratou e o quanto isso custou”, pontua. Os prazos extensos só redobram a atenção e a necessidade de um bom planejamento financeiro na hora de contratar um empréstimo, como aconselha o especialista: “Antes de tudo, crie uma rotina de cuidado com o dinheiro. Entenda o quanto ganha, gasta e o quanto guarda. O controle financeiro permite que o consumidor não precise recorrer a outros serviços de empréstimo. São cuidados essenciais para manter a saúde financeira”.

4. CRÉDITO NÃO TÃO FÁCIL ASSIM

‘A oferta de prestações pequenas escondem os juros mensais’, ressalta Edval Landulfo

Parcelas que não terminam nunca Sempre tem inúmeras taxas e custos extras embutidas na contratação do crédito. Quanto mais fácil, maior o custo. “A oferta de prestações geralmente pequenas esconde o pagamento de juros mensais que não amortizam o principal da dívida, portanto, o cliente perderá durante muito tempo um bom dinheiro apenas pagando os juros dessa linha de crédito”, analisa o economista e educador financeiro Edval Landulfo. As principais vítimas do crédito fácil costumam ser os pensionistas e aposentados. “Como a certeza dos pagamentos que têm data certa para cair na conta, eles se tornam ‘os queridinhos’ das financeiras”. Por isso, vale a pena ficar de olho também nos prazos. Quanto maior for o número de parcelas, mas caro o crédito fica. Também evite cair no papo das ofertas de renegociação da dívida antes do final do contrato. É pegar calculadora e fazer as contas do Custo Efetivo Total (CET). “Depois de alguns meses alguém vai te ligar oferecendo um novo crédito e estendendo o período daquele que já tem com taxas ainda maiores”, completa Landulfo.

5. DEPÓSITO ANTECIPADO É CRIME

‘Muito provavelmente você cairá em algum golpee nunca mais verá esse dinheiro’, diz Ricardo Maila

De jeito nenhum Não acredite em financeiras que pedirem algum tipo de depósito antecipado para que o crédito seja liberado. A prática é considerada crime, como chama atenção o especialista em gestão financeira e diretor da Plano Consultoria em Finanças Pessoais, Ricardo Maila. “Isso é proibido pelo Banco Central. Muito provavelmente você cairá em um golpe e nunca mais verá esse dinheiro. Além disso vão pedir cada vez mais e usar diversos motivos”. Não aceite aquelas propostas que tentam justificar o depósito para despesas jurídicas ou como uma espécie de ‘seguro’ pelo empréstimo, ainda que prometa que o valor será abatido das parcelas.  “Diariamente recebo relato disso em nossos canais. Linhas de créditos muito baratas, especialmente que pedem valores de taxas antecipadas são por quase todas as vezes golpes”, analisa. Fica aqui mais um conselho: pesquise sempre a re-putação da instituição que está ofertando o empréstimo no Banco Central, em sites de reclamação e até mesmo nas redes sociais.  “Observe tudo com muita cautela”.

Open post

Principais motivos que levam à recusa na solicitação de crédito

Nem sempre os bancos ou provedores de crédito são claros sobre o porquê de não liberarem os valores para determinadas empresas. Se você já passou por isso, leia abaixo algumas razões pelas quais isso acontece:

1. O histórico no Serasa é ruim e mesmo que atualmente a empresa não esteja inscrita no órgão de proteção ao crédito, a avaliação sobre o risco do não pagamento é negativa.

2. O CNPJ já possui outros valores emprestados/financiados, o que compromete a capacidade de pagamento de novos débitos.

3. Existe restrição no Serasa atualmente e você não sabe.

4. A documentação entregue está incompleta, desatualizada ou desorganizada, o que compromete o julgamento do banco sobre a capacidade de pagamento dos valores tomados. Atualize o balanço patrimonial, DRE, balancete analítico, plano de negócios e a certidão de negativa de débitos.

5. Sua garantia possui documentação irregular ou não cobre, dentro dos parâmetros do banco, o valor tomado.

6. Em casos de financiamento, ter um projeto que mostre claramente para onde os recursos irão faz toda diferença na hora do banco bater o martelo positiva ou negativamente.

E se precisar, conte com a Cabedal para fazer tudo isso por você!

Open post

Sílvio perdeu a casa devido a um empréstimo!

Em 2005, a EspinGraf tinha 26 colaboradores (incluindo os proprietários Sílvio e Luíza), contratos de grande porte e instalações invejáveis. Porém, ante a necessidade de expandir o crédito junto aos fornecedores, o casal decidiu por tomar um empréstimo junto ao seu banco – deixando sua casa de praia como garantia.

Aplicaram os 1.200.000 reais obtidos (e muito esforço) integralmente na gráfica e conseguiram fechar 18 grandes contratos em dois anos: a EspinGraf tornou-se, assim, um sucesso! Em 2009, contudo, ao rever o contrato, a consultoria da empresa concluiu que a gráfica precisaria pagar quase 4 vezes o que devia para quitar seu débito.

A disputa judicial culminou, em 2011, sentenciando que a gráfica suspendesse os pagamentos em definitivo desde que abrisse mão da garantia: a família perdia, assim, o imóvel além de ter desembolsado 450.000 reais. No entanto, ATENÇÃO: os novos contratos da EspinGraf rendiam à época ~300.000 líquidos/mês!

Isso é o que acontece quando sua empresa aplica CORRETAMENTE recursos advindos de empréstimos empresariais: crescimento!

Agora esqueça os juros abusivos dos bancos: a Cabedal tem empréstimos com garantia de imóvel a 0,85% a.m.

Ah, se o Sílvio soubesse disso!

Open post

Você sabe o que BNDES oferece?

Conheça os principais financiamentos oferecidos pelo BNDES para pequenas empresas, produtores rurais e cooperativas:

  1. BNDES Finame – BK Produção: financiamento ao fabricante para a produção de máquinas, equipamentos, bens de informática e automação;
  2. BNDES Automático – Emergencial: apoio à retomada da atividade econômica em municípios afetados por desastres naturais, por meio de financiamento a capital de giro;
  3. BNDES Agro: apoio ao aumento da capacidade de armazenagem das agroindústrias e à aquisição de pulverizadores aéreos;
  4. Procap-Agro – Programa de capitalização de cooperativas: apoio à recuperação ou reestruturação patrimonial de cooperativas agropecuárias, agroindustriais, aquícolas e pesqueiras, por meio do financiamento para integralização de quotas-partes e para obtenção de capital de giro;
  5. BNDES Procapcred – Programa de capitalização de cooperativas de crédito: fortalecimento da estrutura patrimonial das cooperativas de crédito, por meio do financiamento aos cooperados para aquisição de cotas-parte.

Conheça as principais linhas de crédito oferecidos pelo BNDES para infraestrutura e tecnologia:

  1. Cartão BNDES: crédito pré-aprovado para aquisição de bens e serviços credenciados no Portal do Cartão BNDES;
  2. BNDES Automático – Projetos de Investimento: financiamento de até R$ 150 milhões para projetos de investimento de empresas;
  3. BNDES Finame – BK Aquisição e Comercialização: financiamento para aquisição e comercialização de máquinas, equipamentos, sistemas industriais, bens de informática e automação, veículos e aeronaves executivas;
  4. BNDES Finame – Energia Renovável: financiamento para aquisição e comercialização de sistemas de geração de energia solar e eólica e aquecedores solares, incluindo serviço de instalação e capital de giro;
  5. BNDES Finame – Moderniza BK: financiamento à modernização de máquinas e equipamentos instalados no país, com fornecimento contratado com os proprietários dos bens;
  6. BNDES Finem Eficiência Energética: financiamento a partir de R$ 10 milhões para projetos voltados à redução do consumo de energia e aumento da eficiência do sistema energético nacional.

Antes de falar com seu banco, fale com a Cabedal!

Além do BNDES, temos ainda dezenas de outras opções! Conheça!

Open post

5 Motivos para Captar Recursos para o Seu Agronegócio em 2019

Atenta às tendências de Economia, Sociedade e Mercados, a Cabedal está cada vez mais próxima do segmento agropecuário e suas adjacências: o agronegócio – que inclui não só a produção agrícola e pecuária mas também as operações imobiliárias, infra-estruturais, tecnológicas e administrativas que sustentam o setor.

Neste post, vamos apontar 5 circunstâncias do cenário econômico atual que assinalam a necessidade urgente dos empresários do setor em captarem investimentos para seus negócios como forma de se manterem competitivos no mercado:

1. Expansão da demanda por produtos brasileiros no mercado internacional: como já falamos no post anterior, as barreiras alfandegárias entre os gigantes EUA e China devem fazer com que o interesse dos maiores mercados consumidores do planeta se concentrem em produtos em grande parte provenientes do Brasil – é possível, pois, que algumas safras encontrem o problema da “demanda reprimida” (mais demanda que oferta) e seus produtores precisem se antecipar ao problema e expandirem sua produção;

2. Atenção Governamental ao Setor Agrícola: livre de exigências político-partidárias, podemos esperar do atual Ministério da Agricultura, além de uma prometida “gestão técnica”, uma atitude muito mais proativa e efetiva quanto às demandas do setor. A traduzir-se em programas de auxílio governamental e linhas de crédito exclusivas para a produção agropecuária – uma alternativa de financiamento que não deve ser desperdiçada pelos produtores pois pode constituir uma janela breve de oportunidade;

3. Fortalecimento da Concorrência com o Norte e Nordeste do País: o governo atual, pela primeira vez em algumas décadas, está empenhado em resolver o grave problema das terras improdutivas da região nordeste do Brasil e deverá desenvolver programas de auxílio tecnológico aos produtores rurais locais além da liberação de linhas de crédito com custos significativamente subsidiados – o que deve representar uma ameaça interna aos produtores do sul, sudeste e centro-oeste que, para compensar, devem aprimorar seu desempenho através do (re)investimento em sua produção;

4. Necessidade de Equilíbrio Cambial e Financeiro: a maioria das safras atualmente disponíveis no mercado foram plantadas com dólar (e expectativa) próxima de 3,90 reais e deverá ser negociada com o dólar tendendo a 3,65 reais – o que demandará recursos para cobrir esse gap financeiro;

5. Necessidade de Diversificação: ante desfechos favoráveis ou desfavoráveis, a diversificação de portfólio é sempre uma boa ideia, garantindo a saúde de sua curva ABC e proteção contra a sazonalidade. No entanto, diante do realinhamento político brasileiro, há um forte indício de que alguns segmentos do mercado precisem receber atenção especial por parte de seus operadores. Observe, por exemplo, a aproximação entre Brasil e Israel que pode ameaçar a demanda pela carne brasileira no mercado árabe (seu principal mercado consumidor no mercado externo) – e deverá exigir novos esforços mercadológicos ou operacionais dos produtores do segmento;

Considere esses elementos para fazer uma análise SWOT do seu agronegócio para 2019.

Mas não se assuste!

Conte com a Cabedal para assessorá-lo em todas as etapas da obtenção de financiamentos e empréstimo para suas atividades no agronegócio.

Vamos tomar um café e conversar?

Open post

Agronegócio: perspectivas para 2019

Se você está envolvido com o agronegócio, de uma forma ou de outra está constantemente atento ao mercado mundial, não é verdade? Porque, assim como as bolsas de valores, o mercado agro é sensível a toda e qualquer variação econômica, social ou política de cenários – além, claro, das climáticas.

Se “o bater de asas de uma borboleta influencia tempestades”, o que podemos esperar das negociações entre EUA e China?

Vamos entender!

A abundância de mão de obra, a disponibilidade tecnológica, o crescente investimento em infra-estrutura e o câmbio (quase que maliciosamente) favorável do Yuan perante o dólar americano fazem da China o maior problema macroeconômico dos EUA atualmente. Os americanos preferem comprar produtos e insumos chineses (devido à diferença de preços) e produzir na China (devido aos custos reduzidos de operacionalização e manufatura) mas, infelizmente, não conseguem atingir o imenso mercado consumidor chinês – que, nos dias de hoje, parece ainda mais encantado com a Coréia do Sul.

Como resultado, os EUA perdem postos de trabalho, mercados consumidores, e, por consequência sua balança de pagamentos sofre nitidamente o efeito (da concorrência com os produtos provenientes da) China – que assola, igualmente, grande parte do mundo ocidental.

Como resolver isso? Donald Trump – seguindo suas promessas de campanha – impôs uma série de tributos sobre os produtos importados da China e, esta, por sua vez, vem respondendo na mesma moeda; promovendo, por fim, uma verdadeira guerra comercial entre os dois países, onde uma crescente tributação recíproca torna seus produtos economicamente inviáveis.

Quais os resultados desse desfecho para o Brasil?

Esse cenário, obviamente, implica significativa preferência para o produto brasileiro – tanto por parte dos chineses quanto por parte dos Estados Unidos!

Observe que, aproximadamente 35% das exportações brasileiras dirigem-se a esses dois países: China e EUA, cujos PIB devem aumentar, respectivamente, em 6,5% e 2,9%. Mas, o principal dado: suas preferências (de importação) deverão voltar-se ainda mais para o Brasil – que deverá, assim, aumentar o market share em relação aos concorrentes. Portanto, podemos apostar que o Brasil terá um crescimento no setor agro entre 3,5% – no pior dos cenários – e 14% – no melhor – para os próximos dois anos.

Não deixe sua empresa, projeto ou iniciativa de fora dessa oportunidade?

A Cabedal tem uma surpresa para o setor de agronegócios ainda para essa semana! Quer saber mais?

Acompanhe nosso blog!

Deixe sua opinião, compartilhe em suas redes sociais e inscreva-se na nossa página!

Open post

Você já sabe o que podemos fazer por você?

Quer uma resposta fácil e rápida? Podemos fazer você lucrar mais! E sem que você pague mais por isso.

Sim, se isso lhe parece bom demais para ser verdade, acostume-se: a Cabedal não é a única startup facilitando a vida das empresas em 2019 – confira nossa matéria sobre o assunto no Portal Terra e conheça outras empresas que podem fazer a diferença no seu negócio!

A Cabedal é uma consolidadora de soluções financeiras dedicada a assessorar seus clientes de forma personalizada, transparente e objetiva.

Conheça alguns dos nossos serviços:

  1. Redução de Impostos: melhore seu desempenho financeiro com nossos serviços de liquidação indireta de impostos federais (incluindo IRPJ, IPI, PIS, COFINS, CCSL e INSS) por meio de nossos ativos financeiros (já homologados na SRF) e obtenha descontos a partir de 20% sobre seus tributos com total segurança.
  2. Capital de Giro: quando sua empresa precisa de fôlego financeiro – seja para a manutenção de sua estrutura, pagamento de fornecedores ou renovação de estoques -, a expressão “capital de giro” volta à pauta do dia! A Cabedal abre acesso às principais linhas de Capital de Giro para a sua empresas: antecipação de recebíveis (inc. descontos de duplicatas), crédito com garantias, opções múltiplas no portfólio BNDES (inclusive com o desenvolvimento de projetos) e Fundos do Exterior – Agora com taxas de juros 0,85% para empresas!
  3. Financiamento: você enfrenta menos burocracia e reduz custos quando oferece garantia de imóvel ou veículo na obtenção de seu crédito para realização da compra de sua residência ou automóvel. Opte ainda pelo consórcio, a modalidade de compra baseada na união de pessoas – físicas ou jurídicas – em grupos, com a finalidade de formar poupança para a aquisição de bens móveis, imóveis ou serviços. A formação desses grupos é feita por uma Administradora de Consórcios autorizada pelo Banco Central.
  4. Blindagem Patrimonial: Planejamento financeiro internacional é a melhor maneira de garantir o padrão de vida da sua família no caso da sua ausência. Este produto tem objetivos complementares ao do seguro de vida tradicional: a sobrevivência e a formação de um fundo de reserva para o segurado e/ou sua família – a principal diferença é que a pessoa pode resgatar o valor acumulado em vida, “transformar” o valor em previdência privada, ou, ainda, fazer todo o acúmulo de valores em moeda estrangeira.
  5. Gestão de Benefícios: aquisição, gerenciamento e distribuição de benefícios (vale-transporte, cartão alimentação, cartão combustível e cartão refeição) – com controle sobre gastos e, no caso de vale-transporte a empresa poderá verificar a diminuição de custos por meio de análise de rota e transportes.
  6. Eficiência Energética: se despesas relacionadas ao consumo de energia elétrica impactam sua saúde financeira, a Cabedal está preparada para sanear até mesmo contas dessa natureza! Conheça também nossas atividades de análise, planejamento, implementação e gestão da eficiência energética.

Quer saber mais? Contate-nos!

Open post

Empréstimo: Como saber se minha empresa precisa de um?

Grandes ou pequenos, uma significativas parcela de empresários e empreendedores sentem ainda um certo desconforto com o termo “empréstimo” (e “financiamento”) e, consequentemente, evitam culturalmente o crédito empresarial.

Mas, você sabia que existem momentos em que injetar recursos em seu negócio significa aumentar os lucros de modo significativo?

Tal medida pode representar tanto uma estratégia “defensiva” – em que a empresa busca manter sua posição de mercado frente a concorrência e alterações naturais de cenário -, quanto “ofensiva”, quando a empresa busca otimizar sua dinâmica, melhorar seu desempenho ou aumentar seu market share antecipando-se aos seus pares.

Apontamos, dessa forma, 7 situações que justificam a tomada de empréstimo por parte do empresário:

  1. Pesquisa e Desenvolvimento: a sociedade e os recursos tecnológicos mudaram e seu produto ou serviço precisa acompanhar as tendências e “evoluir” – investimentos em P&D costumam ser altos, envolvendo pesquisas de mercado, análises e intervenções científicas de alto custo, sourcing e rearranjos operacionais.
  2. Expansão da Capacidade Produtiva: com ou sem incrementos qualitativos no produto, sua empresa deseja aumentar sua produção por diversas razões – melhoria de desempenho, otimização da estrutura, demanda reprimida etc. – são investimentos que incluem reformas estruturais, aquisição de equipamentos, contratação de mão-de-obra e treinamentos.
  3. Expansão Mercadológica: sua empresa produz com desempenho e qualidade satisfatórios mas seus estoques são o problema. Você precisa expandir seus mercados através do aumento da força de vendas, dos canais de distribuição, exportação ou modelos de acesso.
  4. Investimentos em Marketing: sua empresa mantém um bom desempenho (quantitativo e qualitativo) até uma concorrente aparecer com mais fôlego financeiro para investir na visibilidade da marca – seus clientes migram para a concorrência e você precisará se reposicionar no mercado para manter o market share. Necessitará, nesse caso de profissionais de marketing e de campanhas assertivas para atender à sua demanda.
  5. Crescimento Acelerado: sua campanha de marketing foi um sucesso e sua demanda está maior que sua capacidade de atendimento – retornamos à questão da “demanda reprimida”. Você precisará de mais funcionários, mais tecnologia, mais estrutura.
  6. Consultoria Administrativa (jurídico-financeiro-contábil): sua empresa aumenta as vendas, aumenta a produção, mas não parece estar lucrando mais? Você precisa de rever seus resultados, custos, despesas, estratégias tributárias e desempenho operacional.
  7. Otimização e Diversificação de Portfólio: lembra daquela diretriz “em time que está ganhando não se mexe”? Isso não se aplica à gestão! Mesmo quando sua empresa estiver indo muito bem, procure otimizar sua curva ABC, seu fluxo de caixa e suas atividades operacionais – o que chamamos de “kaizen” (a melhora contínua) – e considere diversificar seu portfólio com novos produtos e serviços, como forma de proteger sua empresa das eventuais intempéries do mercado.

Segundo pesquisa do SEBRAE, existem ainda outras razões pelas quais as empresas solicitam crédito.

Seja qual for a sua necessidade… Conte com a Cabedal para orientá-lo!

Open post

Sua empresa precisa CRESCER! AGORA! Vamos dar um jeito nisso?

Ah, você ainda não sabe por quê? Nós te convidamos a acompanhar o vídeo de Haroldo Torres, do excelente canal EconomicaMENTE!

Muitas são as perspectivas para o cenário econômico 2019! Novo governo, novas iniciativas e uma certeza: economia ACONTECENDO!

Sim, o mercado consumidor e seus colegas empreendedores estarão, mais do que nunca, agitados. Para os mais conservadores, 2019 será um ano de ajustes e crescimento baixo. Para os mais otimistas, 2019, será uma grande black friday!

Mas estaremos crescendo… e, talvez, pela primeira vez, nesses quinhentos e poucos anos, com genuíno interesse em crescer.

Então, vamos crescer juntos?

Você não quer ver seus concorrentes surfando a nova economia enquanto você os avista da praia, quer?

Mantenha-se atento às novidades da Cabedal! Estamos certos de que podemos ajudá-lo a viabilizar seus projetos de crescimento, obter empréstimos financeiros com os menores custos, reduzir sua carga tributária e desenvolver estratégias financeiras que vão revolucionar sua empresa!

Saia na frente!

E não se esqueça de se inscrever no Canal EconomicaMENTE… afinal, informação é tudo!

Open post

Chegou a hora! Porque esse é o momento de expandir…

Ok, vamos provar com poucos argumentos que, sim, você deveria, agora, rever seu plano de expansão (empreendimentos, abrir sua startup, abrir novas vagas de emprego, investimento), chamar seu contador e a equipe Cabedal – claro! – e se preparar para, no mínimo, crescer 30% nos próximos 3 anos. No mínimo!

Mas como? E por que?
Ante tantas incertezas?

Incertezas?

Em primeiro lugar, cuidado com os “economistas de esquerda”! Lembre-se que a maioria dos jornalistas não exatamente afiniza com o governo atual. Se você quer previsões conservadoras siga o próprio Paulo Guedes, sua carreira passa pela Universidade de Chicago e pelo IBMEC (conhecidos por suas “rédeas puxadas”) e as perspectivas do próprio governo serão normalmente mornas ao seu ver.

A maioria dos leitores não conhece Kondratiev, Kuznets ou Juglar, mas, para quem estuda cenários econômicos, esses teóricos fazem muita diferença: suas teorias (“curvas” de retração e crescimento) mostram que estamos prestes a entrar em um novo ciclo de crescimento próximo de 2020. Talvez você tenha lido “O Ponto de Mutação” (Fritjof Capra), que aponta a ciclicidade dos eventos históricas… é exatamente isso.

Se olharmos para o cenário internacional, como em meados da década de 2000, vamos observar que a incerteza é maior lá fora. Afinal de contas, o principal motivo de o Brasil ter “crescido” durante os últimos 20 anos foi o fato de termos tido uma crise de incerteza no exterior. Estamos prenunciando a mesma incerteza… embora por outros motivos: o eixo econômico-social do mundo está se reequilibrando com um novo mega-dealer, a China.

A China já está em Hollywood, dita tendências de moda e exporta até design. Rapidamente ela pareou com os EUA durante a última década e, hoje, é o novo grande investidor mundial… com centenas de startups bilionárias e o maior mercado consumidor do mundo.

Lembre-se ainda que o mercado interno chinês é imenso – como o é o da Índia, igualmente – e muito menos vulnerável as intempéries mundiais que acometem muito mais agressivamente mercados como o norte-americano e europeu.

Assim, com a Europa letárgica e os EUA sofrendo a resistência a Trump (além de negociações instáveis com a China), aguarde muitos investimentos no Brasil… inclusive dos ávidos chineses. E esteja pronto pra isso!

Em 2020 teremos um mercado consumidor muito ativo (lembram do efeito da liberação do FGTS?) e confiante, concorrentes preparados, economia “bombando” e moeda estável!

Você vai ficar de fora?

Posts navigation

1 2 3