Open post

Fim de semana chegando, Halloween… Vamos falar de algo mais divertido hoje: cinema!

Quem não gosta de aprender assistindo um filme de qualidade, não é? Por conta disso, resolvemos indicar alguns filmes ou séries para você aproveitar a folga aprendendo um pouco mais de mercado financeiro! Bora lá?

Freakonomics (2010)

Os livros são incríveis, mas é imperdível. Retrata os estudos do economista Steven Levitt e do jornalista Stephen J. Dubner, que aplicaram de forma direta a teoria econômica em questões do dia a dia. É um filme que ajuda a entender a economia e o papel dos agentes econômicos. Até que a sorte nos separe (1 e 2) Inspirado no livro do Gustavo Cerbasi (“Casais inteligentes enriquecem juntos”), é uma comédia que mostra como o descontrole financeiro e decisões erradas podem acabar com grandes fortunas.

O lobo de Wall Street

Clássico, provavelmente você já assistiu, mas não podemos tirar da lista. O filme mostra os bastidores do enriquecimento rápido e ilícito. Mostra questões morais e detalhes da vida de um corretor de Wall Street e suas estratégias no mercado financeiro.

Gostou das dicas? Já assistiu algum desses? Indicaria outros? Comente e marque alguém que te deve uma sessão cinema!

Open post

5 informações para considerar nas suas finanças em 2020

Bem, o bissexto 2020 será um ano peculiar para o Brasil e para o mundo: você está preparado para se ajustar a todos os cenários possíveis?

Em linhas gerais, teremos o segundo ano do governo Bolsonaro (que tem se mostrado ágil e imprevisível), uma olimpíada (para atrapalhar), as eleições norte-americanas, as eleições municipais brasileiras, a contínua tensão entre esquerdas e direitas mundiais (inclusive na ONU) e a situação comercial ChinaUSA em perene conflito.

No dia-a-dia do mercado, porém, veremos mais consumo, mais tecnologia e a desconstrução de alguns pardigmas fortes na economia. Para complementar, consumidores mais ansiosos e superficiais. E agora, a que, exatamente, atentar?

1. Abertura de acordos de livre (ou quase livre) comércio;

2. Facilitação do empreendedorismo, produzindo mais empresas no mercado;

3. Aumento da concorrência, gerando queda de preços e de juros;

4. Fortalecimento da moeda nacional e maior potencial para exportações;

5. Investidores ávidos por novas variedades de investimentos.

E sua empresa, onde se enquadra nesse contexto? Comente!

Open post

Quer prever o futuro?

Enquanto esperamos nosso bot “Brian”, a equipe Cabedal falou com Jack Feliciano, analista de cenários sociais da ONG InFolk e coletou algumas dicas utilizadas pelos profissionais da área da futurologia para estimarem o “que vem por aí”:

1. Não aposte no “indutivismo” (a suposição de que o futuro repetirá o passado) mas em tendências ambientais, políticas, econômicas, sociais e comportamentais de indivíduos, grupos e seus conflitos;

2. Não tome a realidade presente pelo que a imprensa divulga – “é um conhecimento de segunda mão muito frequentemente deformado pelos viéses cognitivos do jornalista”. Índices econométricas cruas são mais viáveis. Por exemplo, julgue o governo Trump pela análise das bolsas NYSE e NASDAQ ou do câmbio USD-EUR.

3. A sociedade obedece ciclos – como o propõem Kondratieff, Juglar, Kuznets e Kitchin – e organiza-se em arranjos. Entender sua lógica é vital!

4. Misteriosamente, o cérebro da fêmea humana tem a capacidade escolher indivíduos mais capazes para terem sucesso em cenários futuros – o que costuma coincidir com as profissões que se estabelecem no mercado (artigo aqui).

Quer saber mais sobre o assunto? Então CURTA NOSSA PÁGINA no LinkedIn e visite nosso site!

Open post

Participe dessa pesquisa e acesse uma oportunidade rara em rentabilidade!

Atenção, se seus recursos demandados/aplicados forem iguais ou superiores a R$300.000, nós garantimos uma oportunidade de empréstimo x investimento, no mínimo, 5 vezes mais vantajosa que a sua oferta atual. Responda a pesquisa abaixo:

1. Quanto sua empresa paga por seus empréstimos (o percentual de juros cobrado por sua instituição bancária ou cedente do crédito)?

2. Quanto você ou sua empresa são remunerados por seus investimentos ou aplicações (em percentual)? Entendeu?

Exemplo: sua empresa contrata empréstimos para capital de giro a 1,8% ao mês e é remunerada em seus investimentos em 0,8% ao mês – nesse caso, se suas aplicações e empréstimos forem equivalentes no montante (o que seria bastante insólito já que, preferivelmente, você deveria utilizar o dinheiro aplicado em lugar de tomar um empréstimo), você estaria perdendo 1% ao mês.

Para você, RESPEITADAS AS POLÍTICAS DE CRÉDITO E GARANTIAS, a Cabedal apresenta opções em crédito x financiamento de até 0,85% a.m. e até 3,55% de rentabilidade líquida.

O que você acha disso? Agora responda a pesquisa e para participar, compartilhe com pelo menos 1 amigo: salve-se dos empréstimos cruéis e das péssimas aplicações!

Open post

Bancos digitais: definição, prós e contras

Por definição, um Banco Digital é aquele em que a comunicação, interatividade, movimentação e operações são todas feitas através de um dispositivo móvel conectado à internet.

Ok, mas… Quais são os benefícios? Essa parte é fácil (tem muitos!). Vamos listar o que achamos serem os pontos fortes:

  1. Acabar com longas filas de banco;
  2. Pagar muito menos nas transações (como TED e DOC) e muitas vezes, não pagar nada;
  3. Isentar-se das taxas de manutenção de conta;
  4. Fazer investimentos de forma mais independente e sem burocracia;
  5. Realizar todas as operações com praticidade e se necessário contar com suporte no chat do aplicativo 24h por dia, 7 dias por semana (acredite, é verdade!).

Mas não tem nenhuma desvantagem? Olha… É difícil fazer uma lista como acima… Mas pode-se citar 2 elementos que não agradam alguns usuários:

  1. Sacar dinheiro pode ser um problema. Por não ter agência, a única maneira é utilizar o caixa 24 horas. E alguns bancos digitais taxam a partir do segundo saque do mês.

  2. Emitir talão de cheque não é possível em bancos digitais. Sabemos que está em desuso, mas alguns conservadores ainda não abriram mão das folhas mensais.

E o que você acha? Deixe sua opinião!

Open post

Como as Fintechs podem ajudar você?

Separamos 5 empresas que oferecem inovações em serviços financeiros que podem facilitar seu dia a dia. Confira:

  1. Uphold Inc.Se você precisar manter saldo em outras moedas, inclusive criptomoedas e guardar esse valores na nuvem, esta é a melhor plataforma.
  2. Kamoney Empreendimentos Digitais LtdaVocê tem criptomoedas e não sabe como utilizar? Aqui você pode pagar faturas, efetuar recarga de celular e realizar TED/DOC com bitcoin por exemplo. Maravilhoso né?
  3. GuiabolsoApp intuitivo que sincroniza todas as suas contas bancárias, gastos em débito/crédito uma única tela. Também dá dicas financeiras e estimula o usuário a investir. É 100% gratuito.
  4. RecargaPayApp de recargas de celular, cartões de transporte, pagamento de contas sem taxas adicionais, podendo pagá-las em até 12 vezes com seus créditos acumulados com cashback de vários valores dependendo do serviço. O serviço mais utilizado por nós da equipe é o pagamento de boleto com cartão de crédito.
  5. GrabrEssa plataforma conecta viajantes e compradores para que os produtos desejados que não estão no Brasil possam ser trazidos sem taxas. É economia em dobro!

    E então, gostou?

    Conhece alguma plataforma? Indica mais alguma? Comente!

Open post

O que é a recente LC 167/2019 (ESC e Inova Simples)?

A Lei Complementar #167, de 24 de abril , em resumo, cria (e regulamenta) a Empresa Simples de Crédito (ESC) e institui o Inova Simples – alterando algumas leis recentes (como a propria Lei Complementar 123/2006) para incentivar o empreendedorismo e a inovação no Brasil.

INOVA SIMPLES: o Inova Simples cria a figura da “startup“, facilita sua abertura e fechamento (doravante integralmente realizada através da Internet) e seus atos de gestão contábil, em extensão à MP da Liberdade Econômica e à Lei 123/2006.

É o fim da burocracia e um convite ao empreendedorismo ativo!

EMPRESA SIMPLES DE CRÉDITO: como investimento é bom e todos gostamos, a nova lei institui também a criação das ESC – empresas destinadas a emprestar recursos ao empresariado local e que podem ser abertas por qualquer pessoa física. A estimativa do governo é que R$20bi ingressem na economia através dessa nova alternativa.

Na Cabedal, apoiamos as novidades propostas pelo governo, agradecemos em nome dos tantos empreendedores que lutam por manter seus negócios e a economia fluindo e colocamo-nos à disposição para auxiliarmos em suas “ventures“! Avante empreendedores do Brasil!

Open post

O que é o eSocial?

O decreto 8.373, de 2014, instituiu o “Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas” – chamado “eSocial” -, o sistema através do qual empresas (empregadores) passam a comunicar as informações relativas aos seus empregados através do meio eletrônico de forma unificada, incluindo vínculo, folha de pagamento, contribuições previdenciárias, FGTS etc..

Um “upgrade” pertinente, necessário e muitíssimo relevante no cotidiano contábil das empresas… certo? Certo! Reconhecemos que o eSocial foi um grande avanço em agilidade e praticidade para as empresas brasileiras gerirem suas rotinas contábeis: adeus papelada de GFIP, RAIS, CTPS, DIRF, GRF, GPS e outros tantos sitemas que, a partir de agora, estão unificados no eSocial.

O eSocial e o Crédito na prática

Com a obrigatoriedade da adesão ao eSocial do Grupo 3 (optantes pelo SIMPLES) – e agora que todas os demais grupos já aderiram – surge a recorrente dúvida:

“O que o eSocial altera nos processos de recuperação, reestruturação e expansão da minha empresa, principalmente nas questões de acesso ao crédito?”

Embora existam aqueles que temam a adesão ao novo sistema por medo de terem seus deslizes contábeis desvelados ao fisco, o eSocial é, sim, positivo não só à saúde contábil da empresa – considerando a praticidade, transparêcia e o acesso unificado aos dados – mas, principalmente, aos seus processos de recuperação, reestruturação e, até mesmo, crescimento. Isso porque é ingênua a tese de que a empresa pode obter acesso a crédito manipulando suas demonstrações contábeis ou obstruindo o acesso a elas e é, portanto, óbvio que, dada a inevitabilidade da digitalização do fisco, um acesso mais ágil à realidade efetiva da organização permite maior celeridade a qualquer processo de análise que vise de crédito ou empréstimo.

O lado negro do eSocial

Será que tudo são flores nesse novo sistema? Bem, como quase tudo no Brasil – e, pricipalmente, os modelos desenvolvidos antes do governo atual (como no caso) – o eSocial está, sim, eivado de multas.

Portanto, fique atento! A partir de 2019, sua empresa já pode estar sujeita às seguintes penalidade (entre outras):

  1.  (não comunicação de) Admissões: até R$3.000/trabalhador;
  2. (falha na) Atualização da Folha de Pagamentos: a partir de R$1827,87;
  3. (não) Recolhimento de FGTS: R$10,64 a R$106,41/trabalhador;
  4. (não comunicação de) Férias: R$170/trabalhador; 5 – (falha na) CAT: a partir de R$998,00/AT

E, mais, o eSocial está ainda instável: o sistema pode apresentar algumas falhas que demandam atenção redobrada da empresa e seus operadores.

Atenção, a partir de 01/07/2018 o eSocial passou a ser obrigatório a todas as empresas! Sua empresas já se adequou ao eSocial? Não?

A Cabedal ajusta sua estrutura empresarial ao eSocial… com uma visão muito mais que contábil: uma estratégia de crescimento!

Como? Com uma completa análise estratégica de suas rotinas administrativas com vistas a captação de crédito, reestruturação e expansão empresarial!

O que você acha de pôr sua empresa nos eTrilhos? Conheça mais sobre o assunto no Portal eSocial.

Open post

O que os bancos levam em consideração nas análises de crédito?

Se você já passou por uma solicitação de crédito em um banco/financeira, e saiu de lá com uma recusa sem saber o porquê, fica conosco até o fim deste post que talvez você descubra as razões por trás desta negativa, pois vamos explanar o caminho da análise de crédito.

  1. Após a análise cadastral da pessoa física/jurídica (avaliação de documentação, renda) essas instituições buscam o CPF/CNPJ nos órgãos de proteção como o SPC, SCPC Boa Vista e o Serasa. Assim é estabelecido o comportamento do cliente no pagamento das suas responsabilidades financeiras.
  2. Outro fator considerado é o comprometimento da renda em relação ao valor solicitado. Se já existem outras dívidas registradas, mesmo que em outras instituições, pode ser a razão da recusa.
  3. O Serasa criou um score para o consumidor baseado no histórico que citamos acima. Vai de 0 a acima de 700 em que 0 representa alto risco de inadimplência e acima de 700, baixo risco de inadimplência. Saiba o seu no site oficial, link nos comentários.

Além destes 3 fatores, existem outros que algumas instituições usam para dificultar a aprovação. É por isso que a Cabedal providencia a documentação para facilitar e garantir seu sucesso!

Open post

A Cabedal resolveu o problema da previdência!

Esse post é para pessoas físicas!

Quer saber como ter uma renda vitalícia de aproximadamente ~11.000 reais mês agora? Já? Sem esperar até os 70?

Não, não temos uma parceria com a Betinna e não vamos mostrar nada tão fora do comum… mas é algo que pode fazer milagres com a sua vida financeira! E só Cabedal tem!

A Cabedal já tem alternativas para prover-lhe renda vitalícia a partir de pequenos investimentos ou mesmo de seu imobilizado (imóveis ou bens acima de 100.000BRL)! Como? Desde a semana passada vimos aguçando o interesse de todos com essa novidade… eis o momento! Trata-se de um produto exclusivo da Cabedal: a “Gestão Estruturada de Renda” que, por sua vez, une duas oportunidades inéditas da nossa empresa:

  1. Fundo de Investimento (com retorno de até 3% a.m.): isso significa, grosso modo, que, a cada 400.000 reais investidos, você obteria uma renda mensal de 12.000 reais. Simples assim!
  2. Empréstimo com Garantia (com custo real entre 0,85% e 1,05% a.m.): mais uma vez simplificando – e considerando o múmero máximo de parcelas (180) – com um imóvel avaliado em 400.000 reais, você pagaria uma parcela (de refinanciamento) em torno de 4.800 reais.

Lembre-se, os valores são aproximados! Agora vamos ao cálculo final? Se você tem um imóvel urbano próprio nesse valor, ele estaria rendendo para você 7.200 reais mensais!

Isso significa um rendimento de ~1,8% ao mês sobre o seu patrimônio imobilizado: 400% a mais que a poupança ou locação!

Quer saber mais? Contate-nos!

Posts navigation

1 2 3 4