Open post

Participe dessa pesquisa e acesse uma oportunidade rara em rentabilidade!

Atenção, se seus recursos demandados/aplicados forem iguais ou superiores a R$300.000, nós garantimos uma oportunidade de empréstimo x investimento, no mínimo, 5 vezes mais vantajosa que a sua oferta atual. Responda a pesquisa abaixo:

1. Quanto sua empresa paga por seus empréstimos (o percentual de juros cobrado por sua instituição bancária ou cedente do crédito)?

2. Quanto você ou sua empresa são remunerados por seus investimentos ou aplicações (em percentual)? Entendeu?

Exemplo: sua empresa contrata empréstimos para capital de giro a 1,8% ao mês e é remunerada em seus investimentos em 0,8% ao mês – nesse caso, se suas aplicações e empréstimos forem equivalentes no montante (o que seria bastante insólito já que, preferivelmente, você deveria utilizar o dinheiro aplicado em lugar de tomar um empréstimo), você estaria perdendo 1% ao mês.

Para você, RESPEITADAS AS POLÍTICAS DE CRÉDITO E GARANTIAS, a Cabedal apresenta opções em crédito x financiamento de até 0,85% a.m. e até 3,55% de rentabilidade líquida.

O que você acha disso? Agora responda a pesquisa e para participar, compartilhe com pelo menos 1 amigo: salve-se dos empréstimos cruéis e das péssimas aplicações!

Open post

Bancos digitais: definição, prós e contras

Por definição, um Banco Digital é aquele em que a comunicação, interatividade, movimentação e operações são todas feitas através de um dispositivo móvel conectado à internet.

Ok, mas… Quais são os benefícios? Essa parte é fácil (tem muitos!). Vamos listar o que achamos serem os pontos fortes:

  1. Acabar com longas filas de banco;
  2. Pagar muito menos nas transações (como TED e DOC) e muitas vezes, não pagar nada;
  3. Isentar-se das taxas de manutenção de conta;
  4. Fazer investimentos de forma mais independente e sem burocracia;
  5. Realizar todas as operações com praticidade e se necessário contar com suporte no chat do aplicativo 24h por dia, 7 dias por semana (acredite, é verdade!).

Mas não tem nenhuma desvantagem? Olha… É difícil fazer uma lista como acima… Mas pode-se citar 2 elementos que não agradam alguns usuários:

  1. Sacar dinheiro pode ser um problema. Por não ter agência, a única maneira é utilizar o caixa 24 horas. E alguns bancos digitais taxam a partir do segundo saque do mês.

  2. Emitir talão de cheque não é possível em bancos digitais. Sabemos que está em desuso, mas alguns conservadores ainda não abriram mão das folhas mensais.

E o que você acha? Deixe sua opinião!

Open post

Como as Fintechs podem ajudar você?

Separamos 5 empresas que oferecem inovações em serviços financeiros que podem facilitar seu dia a dia. Confira:

  1. Uphold Inc.Se você precisar manter saldo em outras moedas, inclusive criptomoedas e guardar esse valores na nuvem, esta é a melhor plataforma.
  2. Kamoney Empreendimentos Digitais LtdaVocê tem criptomoedas e não sabe como utilizar? Aqui você pode pagar faturas, efetuar recarga de celular e realizar TED/DOC com bitcoin por exemplo. Maravilhoso né?
  3. GuiabolsoApp intuitivo que sincroniza todas as suas contas bancárias, gastos em débito/crédito uma única tela. Também dá dicas financeiras e estimula o usuário a investir. É 100% gratuito.
  4. RecargaPayApp de recargas de celular, cartões de transporte, pagamento de contas sem taxas adicionais, podendo pagá-las em até 12 vezes com seus créditos acumulados com cashback de vários valores dependendo do serviço. O serviço mais utilizado por nós da equipe é o pagamento de boleto com cartão de crédito.
  5. GrabrEssa plataforma conecta viajantes e compradores para que os produtos desejados que não estão no Brasil possam ser trazidos sem taxas. É economia em dobro!

    E então, gostou?

    Conhece alguma plataforma? Indica mais alguma? Comente!

Open post

O que é a recente LC 167/2019 (ESC e Inova Simples)?

A Lei Complementar #167, de 24 de abril , em resumo, cria (e regulamenta) a Empresa Simples de Crédito (ESC) e institui o Inova Simples – alterando algumas leis recentes (como a propria Lei Complementar 123/2006) para incentivar o empreendedorismo e a inovação no Brasil.

INOVA SIMPLES: o Inova Simples cria a figura da “startup“, facilita sua abertura e fechamento (doravante integralmente realizada através da Internet) e seus atos de gestão contábil, em extensão à MP da Liberdade Econômica e à Lei 123/2006.

É o fim da burocracia e um convite ao empreendedorismo ativo!

EMPRESA SIMPLES DE CRÉDITO: como investimento é bom e todos gostamos, a nova lei institui também a criação das ESC – empresas destinadas a emprestar recursos ao empresariado local e que podem ser abertas por qualquer pessoa física. A estimativa do governo é que R$20bi ingressem na economia através dessa nova alternativa.

Na Cabedal, apoiamos as novidades propostas pelo governo, agradecemos em nome dos tantos empreendedores que lutam por manter seus negócios e a economia fluindo e colocamo-nos à disposição para auxiliarmos em suas “ventures“! Avante empreendedores do Brasil!

Open post

O que é o eSocial?

O decreto 8.373, de 2014, instituiu o “Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas” – chamado “eSocial” -, o sistema através do qual empresas (empregadores) passam a comunicar as informações relativas aos seus empregados através do meio eletrônico de forma unificada, incluindo vínculo, folha de pagamento, contribuições previdenciárias, FGTS etc..

Um “upgrade” pertinente, necessário e muitíssimo relevante no cotidiano contábil das empresas… certo? Certo! Reconhecemos que o eSocial foi um grande avanço em agilidade e praticidade para as empresas brasileiras gerirem suas rotinas contábeis: adeus papelada de GFIP, RAIS, CTPS, DIRF, GRF, GPS e outros tantos sitemas que, a partir de agora, estão unificados no eSocial.

O eSocial e o Crédito na prática

Com a obrigatoriedade da adesão ao eSocial do Grupo 3 (optantes pelo SIMPLES) – e agora que todas os demais grupos já aderiram – surge a recorrente dúvida:

“O que o eSocial altera nos processos de recuperação, reestruturação e expansão da minha empresa, principalmente nas questões de acesso ao crédito?”

Embora existam aqueles que temam a adesão ao novo sistema por medo de terem seus deslizes contábeis desvelados ao fisco, o eSocial é, sim, positivo não só à saúde contábil da empresa – considerando a praticidade, transparêcia e o acesso unificado aos dados – mas, principalmente, aos seus processos de recuperação, reestruturação e, até mesmo, crescimento. Isso porque é ingênua a tese de que a empresa pode obter acesso a crédito manipulando suas demonstrações contábeis ou obstruindo o acesso a elas e é, portanto, óbvio que, dada a inevitabilidade da digitalização do fisco, um acesso mais ágil à realidade efetiva da organização permite maior celeridade a qualquer processo de análise que vise de crédito ou empréstimo.

O lado negro do eSocial

Será que tudo são flores nesse novo sistema? Bem, como quase tudo no Brasil – e, pricipalmente, os modelos desenvolvidos antes do governo atual (como no caso) – o eSocial está, sim, eivado de multas.

Portanto, fique atento! A partir de 2019, sua empresa já pode estar sujeita às seguintes penalidade (entre outras):

  1.  (não comunicação de) Admissões: até R$3.000/trabalhador;
  2. (falha na) Atualização da Folha de Pagamentos: a partir de R$1827,87;
  3. (não) Recolhimento de FGTS: R$10,64 a R$106,41/trabalhador;
  4. (não comunicação de) Férias: R$170/trabalhador; 5 – (falha na) CAT: a partir de R$998,00/AT

E, mais, o eSocial está ainda instável: o sistema pode apresentar algumas falhas que demandam atenção redobrada da empresa e seus operadores.

Atenção, a partir de 01/07/2018 o eSocial passou a ser obrigatório a todas as empresas! Sua empresas já se adequou ao eSocial? Não?

A Cabedal ajusta sua estrutura empresarial ao eSocial… com uma visão muito mais que contábil: uma estratégia de crescimento!

Como? Com uma completa análise estratégica de suas rotinas administrativas com vistas a captação de crédito, reestruturação e expansão empresarial!

O que você acha de pôr sua empresa nos eTrilhos? Conheça mais sobre o assunto no Portal eSocial.

Open post

O que os bancos levam em consideração nas análises de crédito?

Se você já passou por uma solicitação de crédito em um banco/financeira, e saiu de lá com uma recusa sem saber o porquê, fica conosco até o fim deste post que talvez você descubra as razões por trás desta negativa, pois vamos explanar o caminho da análise de crédito.

  1. Após a análise cadastral da pessoa física/jurídica (avaliação de documentação, renda) essas instituições buscam o CPF/CNPJ nos órgãos de proteção como o SPC, SCPC Boa Vista e o Serasa. Assim é estabelecido o comportamento do cliente no pagamento das suas responsabilidades financeiras.
  2. Outro fator considerado é o comprometimento da renda em relação ao valor solicitado. Se já existem outras dívidas registradas, mesmo que em outras instituições, pode ser a razão da recusa.
  3. O Serasa criou um score para o consumidor baseado no histórico que citamos acima. Vai de 0 a acima de 700 em que 0 representa alto risco de inadimplência e acima de 700, baixo risco de inadimplência. Saiba o seu no site oficial, link nos comentários.

Além destes 3 fatores, existem outros que algumas instituições usam para dificultar a aprovação. É por isso que a Cabedal providencia a documentação para facilitar e garantir seu sucesso!

Open post

Chegamos à Europa?

A Cabedal esteve presente no evento de Condecoração da Academia Europeia da Alta Gestão e lançamento do Vol V do livro Segredos Do Sucesso.

A Revista Gestão RH e o GI Group realizaram no dia 26 de março, na cidade do Porto em Portugal um evento com o objetivo de propagar o conhecimento a respeito de Recursos Humanos.

Nossa presidente, Mylena Avelino teve a oportunidade de participar da troca de informações sobre o setor de Recursos Humanos com executivos brasileiros e portugueses de grandes empresas.

A expansão para o continente Europeu ainda está nos planos, mas nossa presença nessa linda terrinha já é realidade!

E, conte pra nós, devemos expandir nossa área de abrangência para outros continentes?

Open post

A Agrishow começou!

A Agrishow começou e, além do Presidente Jair Bolsonaro e do MBL, nós, da Cabedal, claro, também estamos presentes durante os cinco dias da Feira… e sabe por que?

Além da presença do Presidente da República (poucos eventos contam com tal prestígio) o Agrishow 2019 está repleto de exposições, mesas de negocição e palestras educativas – uma oportunidade rara de fechar negócios em um dos setores que mais crescem no país.

Oportunamente, o Presidente Bolsonaro apelou ao Banco do Brasil pela redução de juros para o fomento à atividade rural (veja no vídeo acima) e anunciou, ainda, o aporte de R$500 milhões para o programa Moderfrota (de financiamento de máquinas e equipamentos agrícolas).

A equipe Cabedal dedicou-se a divulgar sua proposta de inovação em assessoria para o setor de agronegócio, oferecendo suporte completo nas áreas financeira, tributária, fiscal, contábil e comercial com a novidade: na Cabedal, os custos de assessoria (e, na maioria das vezes, também de operacionalização) das estratégias apontadas são cobrados exclusivamente NO ÊXITO DAS OPERAÇÕES.

Até o momento, mais de 100 empresas já contataram nossos 5 operadores na Agrishow! A sua ainda não? Ainda dá tempo! Contate-nos!

Open post

Você sabe a diferença Leasing e Consórcio?

Como prometido no post anterior, vamos conceituar mais dois termos da área financeira, vamos explicar hoje duas conhecidas palavras:

  1. Consórcio: Modalidade de compra em que pessoas físicas ou jurídicas se unem com a finalidade de formar poupança para a aquisição de bens móveis, imóveis ou serviços. Se juntam através de uma Administradora de Consórcios autorizada e fiscalizada pelo Banco Central do Brasil. Esse grupo paga uma parcela mensal, no máximo por 80 meses, e mês a mês ocorrem sorteios em que essas pessoas recebem o valor total da apólice. É muito vantajoso pois não tem incidência de juros, apenas taxas administrativas parceladas.
  2. Leasing: Não é uma modalidade de compra e sim arrendamento mercantil. É como se fosse um contrato de aluguel em que o banco compra o bem e disponibiliza para uso mediante parcelas mensais em valores e condições determinados previamente. Portanto o bem é da instituição e ela tem o direito de propriedade. Se uma parcela atrasar, ela pode tomá-lo com facilidade. Ao finalizar o contrato de arrendamento, pode-se optar pela devolução do bem ou compra mediante quitação de eventuais valores residuais.
Open post

Diferenças entre empréstimo e financiamento: você sabe quais são?

Comumente confundidos, estes dois termos aparecem nas fachadas dos bancos e em materiais gráficos de divulgação de financeiras, e confundem muitas pessoas…

Se você é uma delas, segue conosco aqui que vamos ajudar a clarear as ideias!

  1. Empréstimo: Ao solicitar um empréstimo você não precisará justificar a razão pela qual está pegando o recurso. Também não precisará, na maioria das vezes, deixar alguma garantia para receber o valor. No entanto, por conta do risco que a instituição está enfrentando, ela cobra juros altos antes de liberar o valor.
  2. Financiamento: Por outro lado, se você tem o objetivo de adquirir um imóvel, veículo, maquinário ou outro bem específico, pode solicitar um financiamento. Aqui o bem entra como garantia e por isso os juros costumam ser mais baixos e as parcelas, mais longas. O valor recebido tem uma finalidade definida e não poderá ser usado para nada além. Existe ainda outro termo muito conhecido, o consórcio.

Você sabe o que difere ele dos outros itens acima? Veja nesse post aqui.

Posts navigation

1 2 3